sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Como o ballet pode ajudar as crianças ansiosas e agressivas na quarentena?


As crianças não sabem nomear muito bem os seus sentimentos, por isso acabam por demonstra-los através de alterações de comportamento que devem ser observados com cuidado e atenção.

Os sinais de ansiedade infantil pode variar de acordo a idade. É comum a criança ficar nervosa, ter alterações do sono, medo, ficar irritada com facilidade, hiperativa,  comer compulsivamente e até mesmo ficar triste e apreensivas sem motivo aparente. Muitas crianças tem estado assim nessa quarentena. Eles sentem falta do convívio com os familiares, com os amigos, de estar ao ar livre, de correr na pracinha, sentem falta do ballet. E muitas vezes por não compreender bem as circunstâncias o adulto entende como desrespeito a ação dessa criança e a pune. É natural também que essa criança se disperse durante as aulas online, mas não quer dizer que ela não esteja interessada. É preciso usar de estratégias para mantê-la ativa, isso inclui o cuidado para que a aula não seja muita extensa.

O diálogo é primordial nesse momento para ajudar a criança externar o que está sentindo ajudando as como lidar os sentimentos sem menosprezar sua ação. Separar um tempo da aula para conversar, falar sobre emoções, quais delas devemos evidenciar, como podemos agir para melhorar o nosso ambiente, essas ações serão significativas no apoio emocional das crianças.


Para ajudar a minimizar o  peso que o isolamento tem trazido para vida das crianças algumas medidas podem ser tomadas e o ballet contribui fortemente na conquista delas


ROTINA: Uma rotina bem estabelecida favorece o desenvolvimento cognitivo e emocional. A manutenção das aulas de ballet dentro dessa rotina contribui para leveza e as deixam mais a vontade.

SOCIALIZAÇÃO: Além do incentivo a socialização com os familiares mais distantes através de ligações e videochamadas, durante as aulas online elas podem resgatar esse contato com as colegas e interagir umas com as outras.

EXEMPLO: as crianças absorvem as emoções daqueles que estão a sua volta, então para gerenciar o estresse da criança é preciso gerenciar o do adulto também. Elas precisam de exemplo!

CRIATIVIDADE E MOVIMENTO: pesquise e abuse de brincadeiras diferentes, deixa a criança brincar e ressignificar os objetos. Estimule a criatividade.
Manter as aulas com atividades lúdicas. Dançar, ouvir música, se envolver com outras expressões artísticas vai acalmar e estimular o desenvolvimento desta criança.


Quando estamos em movimento nosso corpo libera algumas substâncias (endorfina e dopamina) que trazem a sensação de alegria, bem estar, euforia, além de provocar um efeito relaxante antes e depois da atividade praticada.

É importante manter a mente e o corpo ativos e ter a esperança que em breve a pandemia irá acabar e teremos nossas salas de aula cheias de princesas novamente.
Então seja criativo, monte aulas que envolvam as crianças e as levem para “outra dimensão” através da nossa linda arte que é o ballet.


Cínthia Bevenuta
Graduada em Educação Física - (UEFS-BA)
Técnica em Dança – Allegro/BA
Instrutora de Pilates
Pós graduanda em Neuropsicopedagogia
Produtora Cultural
Bailarina
Diretora e Professora na escola Bevenuta Ballet
Amante do ballet infantil e do movimento humano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assim que possível responderemos seu comentário.
Obrigada por comentar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...